10° edição: cenário semanal econômico – 01/06 à 05/06

UZZO

Conta Digital Fintech UZZO

junho 6, 2020

Mercado estendeu ganhos de maio na primeira sessão de junho, com o cenário futuro melhorando.

O Ibovespa abriu a semana em forte alta 1,39% a 88.620 pontos, com os investidores em busca de ações que devem se beneficiar da retomada econômica posterior à pandemia do novo coronavírus.
Dando sequência na semana, a alta se mantém para o Ibovespa, subindo a 94.637 pontos, com isso, o índice atingiu seu maior patamar de fechamento desde o dia 6 de março, quando terminou a sessão cotado em 97.996 pontos. O otimismo manteve a Bolsa de São Paulo superando altas dia após dia, aumentando o apetite dos investidores, retornando a níveis pré-coronavírus.
A quarentena começou a ser adotada por governadores como os de São Paulo e do Rio de Janeiro em 23 de março.

Outro fator que embalou o bom desempenho na bolsa foi o alívio político, após informações de que o Governo Federal pagou R$ 6,2 bilhões em emendas parlamentares em abril.

Além disso, foi motivo de animação o início da flexibilização da quarentena no Brasil, que segue diversos países do mundo na reabertura de comércios, indústrias e outros negócios, embora a evolução de novos casos e mortes pela Covid-19 no País ainda não esteja desacelerando.

Fora as perspectivas para o cenário macroeconômico, o setor financeiro reflete notícias específicas como a afirmação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de que considera difícil qualquer tipo de aumento na carga tributária para compensar a queda de receita pública por causa da pandemia de coronavírus. Existem atualmente projetos no Senado para aumentar o imposto corporativo de bancos, como alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).
A fala é positiva para bancos, uma vez que tais aumentos impactam diretamente o valor dos mesmo. Um aumento de 5% a 20% na CSLL poderia diminuir o valuation (valor da empresa sobre o mercado) dos bancos em até 27%.

Entre os indicadores, a projeção do PIB de 2020 é de baixa de 6,25%. Para 2021, a estimativa de crescimento de 3,50% para o PIB foi mantida.

 A produção industrial despencou 18,8% em abril na comparação com março, mostrou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Apesar de ser a queda mais acentuada da série histórica do indicador, iniciada em 2002, a retração foi menor que a esperada pelos economistas do mercado, que projetavam uma contração de 28,3%.
Já na comparação anual, a retração de abril foi de 27,2%, menos que a mediana das projeções, que era de um recuo de 36,1%. Em março, a queda da produção industrial havia sido de 3,8% sobre o mesmo mês do ano passado.

A expectativa dos economistas é de que, ao final de 2020, a Selic seja de 2,25% ao ano, mesma projeção da semana passada.

As projeções para a inflação, medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), caíram de 1,57% para 1,55% em 2020. Para 2021, a projeção caiu de 3,14% para 3,10%.

No que se diz respeito a empresas, a Multiplan anunciou a reabertura de mais de um de seus estabelecimentos. A partir desta semana, será retomada a operação do Jundiaí Shopping, em Jundiaí (SP).
O estabelecimento havia sido fechado em março na esteira das medidas de isolamento social adotadas para conter o avanço do coronavírus. Agora, irá operar em horário de funcionamento restrito, das 14h às 20h.

Depois do real ser a moeda de mercado emergente com pior desempenho do mundo, o Banco Central vendeu US$ 530 milhões de suas reservas para conter a pressão, o que se reflete no câmbio.

O anúncio de emissão de títulos de 5 e 10 anos em dólar pelo Tesouro Nacional, foi outro fator que interferiu no câmbio esta semana. Foram US$ 1,25 bilhão captados com títulos de dívida externa com vencimento de 5 anos (Global 2025) e US$ 2,25 bilhões com títulos de 10 anos (Global 2030), enquanto a demanda foi de US$ 18 bilhões.

Cenário Internacional
As bolsas internacionais já demonstravam força compradora limitada diante do dado de pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos na semana passada. Foram 1,877 milhão de requisições do benefício, pouco acima da expectativa dos economistas.

O Banco Central Europeu (BCE) injetou mais dinheiro do que o esperado na economia, elevando o programa de compras de títulos por causa da emergência pandêmica em 600 bilhões de euros, para 1,35 trilhão de euros.
O BCE destacou também que a melhora da economia europeia até agora é morna e as projeções apontam queda sem precedentes do Produto Interno Bruto (PIB), em torno de 8,7%, ante uma retração de apenas 0,8% projetada em março. O mercado de trabalho está piorando e a estimativa é que a inflação ficará fraca até o fim do ano.

No mercado de commodities, o preço do petróleo avança com a negociação entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e a Rússia para ampliar o período de corte na produção de petróleo.
A Arábia Saudita sinalizou que deve manter a produção sob controle por mais um a três meses, o que contribui para a valorização da commodity.

Enquanto isso nos Estados Unidos
Após Wall Street passar boa parte da sessão entre perdas e ganhos, o mercado americano demonstrou perto do fechamento que o otimismo não acabou em maio e os papéis de companhias em setores como cruzeiros e hotelaria dispararam.

O dólar comercial fechou em queda chegando à R$4,99. Foi a nona queda em 11 pregões, o menor patamar para um encerramento desde o dia 26 de março, quando encerrou o pregão em R$ 4,9957.
O dólar futuro para julho opera em queda de 0,86% a R$ 5,115. Já a projeção do dólar para o ano que vem, tem estimativa de R$ 5,03 para R$ 5,08.

Também no radar dos mercados, está a tensão entre EUA e China: autoridades chinesas disseram a empresas para interromperem a importação de alguns produtos agrícolas americanos, aumentando o risco de ampliar as tensões entre os dois países.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, adotou um tom duro contra a China, além de anunciar a proibição de voos com passageiros chineses para os Estados Unidos a partir de 16 de junho.

A decisão tinha como objetivo forçar o governo chinês a retomar os voos das companhias americanas para o país asiático. E deu certo. A autoridade de aviação chinesa anunciou que permitirá que companhias aéreas estrangeiras aumentem a frequência de voos para a China a partir de 8 de junho.

No entanto, a notícia de que exportadores de soja dos Estados Unidos venderam várias cargas para clientes estatais chineses, é um sinal de que algumas transações ainda são mantidas mesmo com a tensão entre os dois países.

Entre os indicadores americanos, o Relatório de Emprego mostrou que os EUA perderam 2,76 milhões de vagas de empregos em maio, segundo o Relatório de Empregos no Setor Privado ADP.

Com alta recente das bolsas americanas, marcando o final desta semana, que registrou leves baixas com uma correção após o índice Nasdaq, de empresas de alta tecnologia, bater sua máxima histórica, apagando todas as perdas do crash do coronavírus.

O presidente brasileiro comunicou pelo Twitter que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, convidou o Brasil para participar da cúpula do G7 deste ano. O grupo reúne as maiores economias do mundo ocidental (EUA, Alemanha, Canadá, França, Reino Unido e Itália) e o Japão. O encontro estava previsto para ocorrer em junho, mas, devido à pandemia do novo coronavírus, Trump anunciou que ele poderá ocorrer em setembro ou novembro.

Manifestações
Protestos que começaram na semana passada após o assassinato de George Floyd, um homem negro, desarmado, pela polícia de Minneapolis; só teriam algum efeito imediato na bolsa de Nova York se estivessem provocando paralisação da atividade econômica, algo que não tem ocorrido por enquanto.

O efeito de longo prazo, contudo, pode ser um fortalecimento do candidato Democrata Joe Biden, nas eleições de 2020, uma vez que o brutal assassinato por policiais de um homem negro desarmado prejudica o discurso do atual presidente Donald Trump.

Os protestos ganham força no momento em que o país começa a adotar medidas de abertura da economia após as restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus. Os EUA, até o momento, conta com o maior número de casos da Covid-19. Mais de 1,9 milhão e o número de mortos passa dos 110 mil.

Brasil flexibiliza quarentena antes de atingir pico de mortes
Sobre a pandemia de coronavírus, o Ministério da Saúde divulgou na quarta-feira à noite (03/06/2020) que o Brasil confirmou em 24 horas 1.349 mortes causadas pela Covid-19. Esse é o maior número de óbitos já registrados em um único dia.

No total, o país já conta com 35.047 mortes e o número de contaminados confirmados é de 646.006.

O avanço da doença ocorre no momento em que várias regiões do país começam a reabrir a economia e que o movimento de protestos pró-democracia e contra o governo tentam ganhar força.

Cenário Cripto
Bitcoin rompeu a barreira dos US$ 10.000 corrigindo seu valor logo em seguida, levando o preço da criptomoeda para US $ 9.270 antes de se recuperar um pouco.
Esse rally se deu devido a um aumento repentino nas ordens de venda reduzindo o preço do Bitcoin (BTC) para menos de US$ 10.000.
US$ 135 milhões foram liquidados em 24 horas, provavelmente durante o pico.
Entretanto, com a queda do preço, muitos traders que estavam comprando também foram liquidados no valor de US$ 100 milhões.

No momento da redação deste artigo, o preço está se recuperando, sendo negociado por volta US$ 9.651,26, mas é improvável que a ação do preço tenha acabado.

Entre perdas e ganhos o futuro parece promissor, de acordo com analistas da Bloomberg, o preço do Bitcoin aumentará este ano, pois experimentou a menor volatilidade relativa. A valorização do preço está firmando de forma independente em comparação com o mercado de criptomoedas mais amplo.

O Bitcoin parece estar convergindo sobre a resistência de US$ 10.000, uma indicação de sua apreciação relativa em comparação com o mercado. Se o aumento do preço continuar, o Bitcoin poderá alavancar o mercado cripto, especialmente com a flexibilização incomparável do banco central.

Alguns dos fatores que podem contribuir para a valorização do preço do Bitcoin são maturação, maior profundidade e mais exposição via contratos futuros. Esses fatores eliminam a volatilidade do Bitcoin, garantindo que o preço continue aumentando. Além disso, a tendência pode ser afetada por uma rolagem do mercado de ações, elevando o preço do BTC acima da marca de US$ 10.000.

As tendências favoráveis nos futuros de Bitcoin também apoiam um aumento no preço. Estes futuros são uma representação do amadurecimento em direção aos ativos. Um incremento do interesse aberto futuro no Bitcoin pode garantir um prêmio de preço estável, reduzindo a volatilidade e aumentando a demanda.