4° edição: cenário semanal econômico UZZO – 06/04 à 10/04

UZZO

Conta Digital Fintech UZZO

abril 10, 2020

Nas últimas semanas, as chamadas econômicas alcançaram níveis de comunicação relevante, e em meio tanta informação, é difícil acompanhar e selecionar as notícias mais relevantes.
Por isso, sua conta digital multimoedas separou os principais destaques desta semana de Páscoa. Se ajuste com conforto e boa leitura!

A semana se inicia com as bolsas de valores reagindo positivamente os movimentos dos principais governos, a bolsa de São Paulo por exemplo subiu 6,5% e chegou a saltar a 8% de valorização em um único dia.

Mesmo com o impasse político envolvendo o Presidente da República e o Ministro da Saúde logo no início da semana, a Bolsa manteve a tendência de altas, com base na contenção da pandemia na Europa e China, partindo feriado a dentro com o melhor desempenho semanal desde 2016, superando a casa dos 79 mil pontos.

Os ministros das finanças da zona do euro têm passado por dificuldades para chegar a um acordo sobre um pacote coordenado de apoio econômico. Após uma noite de negociações em que os países do norte, especialmente Holanda, opuseram-se aos do sul, que exigem um esforço financeiro sem precedentes.

Wall Street vem numa crescente subida e na quarta-feira (08/04/2020), com os primeiros sinais de que os casos do Coronavírus nos principais focos dos Estados Unidos estejam próximo do seu pico.

Já o dólar tem queda constante ao longo da semana e avança para o feriado cotado na casa de R$5,10.

O petróleo por sua vez, passou por uma semana cheia de fortes emoções, iniciando com a indefinição do encontro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, tendo um desfecho positivo, com acordos firmados. Na mesma linha seguiram Rússia e Arábia Saudita, chegando à um acordo de corte de produção de petróleo.

O Reflexo positivo por aqui se deu na Petrobras, que teve uma valorização de 6% nesta quinta-feira (09/04/2020).

Pelas estatísticas e especialistas de economia de bancos e mercados tudo aponta para uma retração de até 3,5 no PIB de 2020.

Mais de 2,5 milhões de brasileiros inscritos no Cadastro Único do Governo Federal recebem nesta quinta-feira (09/04/2020) o pagamento da primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600. Outros 436.078 lançamentos serão realizados pelo Banco do Brasil ainda nesta quinta-feira.

Acostumadas a queimar caixa para crescer, as startups dos mais variados setores têm suas operações fortemente impactadas pelo coronavírus.
A crise atual vai trazer dois cenários diferentes para as startups brasileiras: aquelas que possuem caixa suficiente para passar por este momento mais crítico vão sair fortalecidas; por outro lado, aquelas que não estão capitalizadas e não conseguiram estruturar seu modelo de negócios devem desaparecer.

A crise pode afetar negócios que pareciam sólidos, mas não eram. Por conta disso, o critério para investimentos em startups vai subir após o coronavírus. Os investidores estão mais criteriosos, mas os investimentos continuam.

Inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) sobe 0,07% em março, menor valor para o mês desde o início do Plano Real, segundo informação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgada na quinta-feira (09/04/2020). Muito abaixo da expectativa dos economistas, o grupo alimentação e bebidas apresentou a maior variação, a aceleração do grupo alimentação e bebidas foi influenciada principalmente pelo comportamento da alimentação no domicílio, a alimentação fora do domicílio também acelerou, resultado do delivery (lanches, pizza e etc). 
As carnes, por sua vez, apresentaram queda pelo terceiro mês consecutivo, embora o recuo nos preços tenha sido menos intenso na comparação com o mês anterior.

Além desses, outros grupos de destaque na inflação foram: educação, habitação, gás (botijão) e energia elétrica.

Cenário cripto

Ouro e Bitcoin são dois ativos que nada têm a ver um com o outro na superfície e, no entanto, são frequentemente comparados. Um olhar mais atento revela muitas semelhanças, como escassez, oferta finita e assim por diante.
A curto prazo, a venda de mercado induzida pela pandemia do COVID-19 aumentou as correlações de Bitcoin com as classes de ativos tradicionais, particularmente o ouro, sugerindo potencialmente o crescente status de “reserva de valor” do Bitcoin.

Bom ou ruim para o Bitcoin?

O Bitcoin foi apontado como uma reserva de valor por muitos no universo cripto, embora tenha registrado uma queda de 40% durante a liquidação de 12 a 13 de março, pode-se argumentar que o preço do Bitcoin se recuperou.

Essa noção trouxe muitas comparações entre Bitcoin e ouro, já que o último é conhecido como um ativo seguro em momentos de crise, o metal precioso driblou o preço de ações, moedas e até outros ativos.

 O mundo finalmente está acolhendo o Bitcoin de uma maneira bastante séria, e isso foi alimentado pela atual pandemia global COVID-19, que tem muitos bancos centrais incentivando o uso de meios de pagamento sem dinheiro.

De fato, muitos governos desaceleraram seu ataque anterior contra criptomoedas.

Nesse caso, o Bitcoin parece estar ganhando vantagem por ser o mais popular, bem como a criptomoeda mais facilmente transferível e confiável.
Registrando aumentos de volumes, o que significa que algumas pessoas estão ficando atentas há uma possível inflação e perda de valor, enquanto o mundo encara uma possível recessão global.

Curto prazo versus longo prazo

O otimismo em torno do Bitcoin e o mercado cripto em geral não é tão absurdo quanto alguns pessimistas podem querer acreditar.

O Bitcoin espera o halving em maio, um evento conhecido por impulsionar seu preço a novos patamares em várias ocasiões, seguindo a linha de escassez do ativo. 

Além disso, a possibilidade do fim da pandemia de COVID-19 logo gera boas notícias para o Bitcoin. O Bitcoin poderia atingir um novo valor histórico ainda este ano.  

Compreensivelmente, a lógica por trás dessa projeção aponta para o fato de que o preço pode não disparar imediatamente antes ou depois do halving, especialmente porque a pandemia pode levar alguns meses para diminuir e abrir caminho para uma redefinição da verdadeira dinâmica do mercado.

Mas como já sabemos, o tema COVID-19 e seus impactos, estão longe de terminar. Fique atento(a), pois a UZZO continuará acompanhando tudo de perto e mantendo todos informados com o que tem de mais relevante para esse nosso mercado multimoedas!!!