Atualiza aí: cenário semanal econômico UZZO!

UZZO

Fintech UZZO

março 27, 2020

Chegamos ao final de mais uma semana de diversos acontecimentos econômicos em decorrência ao cenário mundial do Coronavírus.

Com o fechamento do mercado na semana passada com ares duvidosos, a abertura desta semana não foi diferente, resultando em uma sequência de resultados de quedas nas principais bolsas do mundo.

Porém na terça-feira, após real percepção otimista do mercado frente às medidas aprovadas de diversos governos, em ações monetárias e fiscais no combate às crises econômicas mediante propagação do vírus, as bolsas reagiram, com IBOVESPA subindo mais de 10%  em um único dia e marcando a arrancada para mais 2 dias consecutivos de altas, seguido pelas principais bolsas mundiais.

Todas essas medidas em conjunto, além de puxar o mercado para cima, fez com que a moeda americana tenha sido cotada em baixa, frente ao Real, chegando a figurar abaixo dos R$5,00, em alguns momentos da quarta-feira (25/03/2020).

Cenário das Empresas no Brasil

O Aeroporto Internacional de Confins anunciou que a última companhia aérea que ainda fazia voos internacionais a partir do seu terminal suspendeu suas atividades até 23 de abril.

O Banco do Brasil anunciou que suas agências bancárias passaram a funcionar em horário reduzido para combater o avanço do coronavírus a partir do dia 24/03/2020.

A Petrobras reduziu o preço da gasolina nas refinarias em 15% em média desde o dia 25/03/2020. Esta é a décima vez que a petroleira diminuiu o preço do combustível este ano, e segue a queda do preço do petróleo no mercado internacional.

Em meio ao impacto econômico expressivo da pandemia de coronavírus, o Banco Central cortou sua projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil a zero em 2020, ante crescimento de 2,2% calculado em dezembro.

Outra notícia que apoiou o otimismo do mercado foi nesta quarta-feira 25/03/2020 o anúncio que o governo pretende aumentar o valor do auxílio a trabalhadores informais e autônomos de baixa renda de R$ 200 para R$ 300.

O benefício está dentro do pacote anunciado na semana passada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para tentar mitigar os impactos da pandemia de coronavírus na economia. Na ocasião, foi dito que a concessão direta desses recursos teriam o custo de R$ 5 bilhões por mês, pelo prazo de três meses, levando o total da investida a R$ 15 bilhões.

Os próximos acontecimentos e decisões podem definir o nosso futuro.

Falando de Criptoeconomia

E por falar em futuro, quem já esboça retomada é o Bitcoin. Mas, quais os possíveis motivos para essa recente alta?
No decorrer desta semana, o Bitcoin seguiu com sua volatilidade desenfreada, nada atípico ao se tratar da criptomoeda.
O importante de se salientar aqui é que o Bitcoin partiu aproximadamente dos US$ 5780 na manhã do dia 23/03/2020, buscando um topo em US$ 6880 na manhã do dia 25/03/2020. Uma alta de mais de 1.000 dólares em menos de 48 horas.
Alguns fatores podem contribuir para essa repentina alta do Bitcoin, como:
→ A China se recuperando do COVID-19;
→ Bancos Centrais injetando grandes quantias na economia (caminhões de dinheiro tem sido despejados nos mercados financeiros e o Bitcoin segue descentralizado e  independente e ainda colhe os frutos do socorro governamental oferecido aos mercados.);
O Bitcoin nesta sexta-feira 27/03/2020, por volta das 12h00 transitava a casa dos US$6.684!
Confiança e desconfiança se tornam a unidade de medida do termômetro com a qual a narrativa daqueles que investem ou mantêm Bitcoin no longo prazo.
A realidade é que o Bitcoin tem mostrado um gráfico ascendente o que cria mais otimismo pelo menos na criptoeconomia